Famílias de diversas comunidades de São Paulo puderam enfrentar o inverno com mais atenção e calor. A Cruz Vermelha Brasileira – Filial de São Paulo encerra a 10ª edição da Campanha do Agasalho com recorde de arrecadação pelo segundo ano consecutivo. Foram 44 toneladas, três vezes mais do que a meta de 13 toneladas estabelecida no início da campanha. O montante de roupas beneficiou 41.446 mil pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Intitulada ‘Aqueça São Paulo’ a ação beneficiou crianças, adultos e idosos de comunidades como Bororé, Capão Redondo, Itapecerica da Serra, Jardim Peri, Paraisópolis e Tucuruvi.

“A Campanha do Agasalho deste ano foi incrível, pois conseguimos superar todos os anos anteriores na quantidade e na qualidade das doações realizadas. Todas as partes envolvidas na ação funcionaram muito bem: a população mostrou enorme solidariedade, nossos voluntários contribuíram com tempo e dedicação, e o apoio dos parceiros e do nosso padrinho, o jogador Gabriel Jesus, foi enorme e de extrema importância”, afirmou a Gerente de Projetos Sociais e Voluntariado, Aline Rosa.

A ação deste ano contou com a participação do atacante do Manchester City, Gabriel Jesus, que cresceu no Jardim Peri, comunidade da Zona Norte da cidade, apoiada pela Cruz Vermelha. O jogador de futebol apadrinhou a campanha, cedendo sua imagem para as peças de divulgação e engajando seus seguidores nas redes sociais a participarem dessa corrente de solidariedade.

“Desde o início, quando foi me apresentada a ideia, quis participar. Hoje, vendo que conseguimos, juntos, ajudar mais gente do que nas edições anteriores, fico realmente muito feliz e honrado. Espero que as pessoas doem cada vez mais e que esse recorde seja batido na próxima vez”, disse Jesus.

 

Entrega sob medida

Um dos diferenciais da campanha da Cruz Vermelha de São Paulo é a doação sob medida. Cada pessoa é beneficiada com peças de vestuário no seu tamanho exato. Para isso, os voluntários da instituição realizam cadastramentos dos futuros   beneficiados, coletando informações como nome, idade, gênero e tamanho de roupa de cada membro das famílias. Conforme as doações chegam a instituição, são montados os kits contendo camiseta, agasalho, calça ou saia (respeitando costumes de algumas religiões), com a numeração exata de cada membro da família.

“Para a Cruz Vermelha, não é apenas uma doação de roupa. Trabalhamos com a dignidade e a autoestima dessas pessoas. Entendemos que as peças no tamanho usado pelo beneficiado, mostram um cuidado a mais, além de aumentar o aproveitamento do vestuário. Nossos voluntários trabalham para garantir que cada peça esteja em perfeitas condições e no tamanho certo para cada pessoa”, disse Aline.

Neste ano, as doações sob medida beneficiaram 969 famílias, um total de 4.707 pessoas, de seis locais: Tribo Damasceno, Jardim Peri, Jardim Pantanal, Itapecerica da Serra, Comunidade Corujas e Sallus e Paraisópolis.

De acordo com o cadastramento realizado pela instituição, 695 famílias (72%), do total de 969, vivem com renda familiar mensal de até mil reais. As informações coletadas levam em consideração o número total de pessoas que vivem na casa (crianças, adultos e idosos) e quantas são responsáveis pela renda da casa. Dos cadastrados, 986 pessoas (21%) exercem alguma atividade remunerada, sendo a maioria no âmbito informal – 539 pessoas (56,5%).

Grande parte das famílias (517 famílias, 53%) declarou não receber nenhuma assistência social. Entre aqueles que contam com o auxílio do governo, o Bolsa Família foi citado por 378 famílias (39%), seguido da aposentadoria que faz parte da renda de 38 famílias (4%).

Quase metade dos beneficiados pelas doações sob medida da Cruz Vermelha tem de 0 a 17 anos, representando 47% dos atendidos. “As peças infantis sempre são mais difíceis de conseguir. As famílias costumam passar a roupa de um filho para o outro, o que dificulta a arrecadação. Ainda assim, com a solidariedade da população, o empenho do Gabriel Jesus estimulando as pessoas a doarem, e o esforço dos nossos voluntários, conseguimos beneficiar todas as crianças e adolescentes”, afirmou Aline.

 

Apoios e parcerias

Ao todo, 152 parceiros participaram como pontos de coleta das roupas, entre shopping centers como o JK Iguatemi, Pátio Higienópolis e Ibirapuera, instituições de ensino como a Universidade Nove de Julho (Uninove), além de grandes empresas, instituições religiosas, clubes, comércios e restaurantes.

Para facilitar a localização, a instituição reuniu todos os pontos de coleta no hotsite da campanha, o www.aquecesp.org.br. Ao colocar o CEP da região desejada, o mapa indicava os locais mais próximos para a doação.

A lavanderia montada na instituição pela Vanish, com apoio da Panasonic, possibilitou o resgate de três (3) toneladas de roupas, que por estarem bastante sujas, estavam sem condições de uso. “Não estamos fazendo um favor. Todos merecem receber peças em boas condições, que os façam se sentir acolhidos e amparados”, informou a gerente de Voluntariado, Aline Rosa.

De volta ao universo do esporte, os quatro maiores clubes paulistas de futebol – Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo – também abraçaram a causa e receberam os voluntários da Cruz Vermelha em dois grandes clássicos paulistas do Campeonato Brasileiro. Os jogadores doaram seus agasalhos na abertura da partida, em frente à torcida, com o objetivo de engajar os torcedores a participarem da ação. O tricolor paulista ainda convocou a torcida para doar no jogo da final da Copa do Brasil Sub-20, e arrecadou cerca de três (3) toneladas de doações para a campanha da Cruz Vermelha.